Make your own free website on Tripod.com

Monte Sinai

 
O Sangue Contamina ou Purifica?

 

 

 

Até que ponto estaremos dispostos a conhecer a verdade?

Estávamos no Sábado passado estudando o importantíssimo assunto referente a Daniel 8. Foi comentado sobre paradigmas. Na área religiosa muitas vezes nos apegamos a um paradigma, e sobre este, construímos nossos entendimentos sobre um determinado assunto.

O ataque ao pentágono por terroristas utilizando um avião, é um paradigma, que nos foi imposto pela mídia. Ué Giordano vc está querendo dizer que não foi um avião??? Olhem neste link, e conclua vc mesmo: http://www.pentagonstrike.co.uk/pentagon_bp.htm#Main

Em matéria de religião, a trindade ou o milênio por exemplo, é um paradigma religioso. Quando questionamos este paradigma, consequentemente, teremos de revisar toda o conhecimento construído em cima dessa base. 

Na interpretação adventista sobre Daniel 8, corroborada por E.G. White, o paradigma que temos aqui, é que o sangue contamina o santuário. Para isso, é citado o serviço diário do santuário terrestre como exemplo. Mas será que é isso mesmo?? O sangue contaminava o santuário terrestre???

Estou repassando a todos os queridos irmãos um interessante estudo. Conjuro-os perante Deus e Cristo Jesus, que há de julgar vivos e mortos que leiam e entendam a verdade sobre o serviço do santuário! Vocês verão quão falaciosa é uma doutrina baseada num falso paradigma.

 

                                                     Que a paz do Senhor esteja com vocês!

                                                            E tenham um feliz Sábado!!!

 

                                                                                Giordano Pedro

-----------------------------------------------------------------------------------------------------

 

Extraído do site: http://www.adventistas-bereanos.com.br/, autor desconhecido.

Afinal o Sangue Purifica ou Contamina o Santuário?

Subtilezas do Erro

 

   Gostaria de trazer a comunidade de livres pensadores adventistas, ou de bereanos apaixonados pela verdade, uma questão para reflexão e uma re-análise conceitual doutrinaria.

       Por mais de 25 anos de adventismo aprendi pela escola teológica adventista, que o sangue dos animais sacrificados pelos sacerdotes em substituição à vida do pecador, contaminava o templo ou santuário, lugar da habitação do Altíssimo,

Êxodo 25:8   E me farão um santuário, para que eu possa habitar no meio deles

tornando o santuário, um local impuro e, portanto impróprio para habitação do Altíssimo. Assim, uma obra especial para remoção desta contaminação se fazia necessária. Mas, porque e como o sangue dos animais sacrificados contaminavam o templo ou santuário?

Vejamos:

“No cerimonial típico, somente os que tinham vindo perante Deus com confissão e arrependimento, e cujos pecados, por meio do sangue da oferta para o pecado, eram transferidos para o santuário, é que tinham parte na cerimônia do dia da expiação. Assim, no grande dia da expiação final e do juízo de  investigação, os únicos casos a serem considerados são os do professo povo de Deus”. O Grande Conflito, pág.484. (Este mesmo pensamento é encontrado no livro Patriarcas e Profetas, pág.354 e na Lição da Escola Sabatina, pág.67, segundo trimestre, de 2002).

“Tal era a obra que dia após dia continuava, durante o ano todo. Os pecados de Israel, sendo assim transferidos para o santuário, ficavam contaminados os lugares santos, e uma obra especial se tornava necessária para sua remoção. Deus ordenara que se fizesse expiação por cada um dos compartimentos sagrados, assim como pelo altar, para o purificar "das imundícias dos filhos de Israel", e o santificar”. Lev. 16:19.  Cristo em seu santuário pág. 35

“Esta era a obra que, dia após dia, se prolongava por todo o ano. Os pecados de Israel eram assim transferidos para o santuário, e uma obra especial se tornava necessária para a sua remoção. Deus ordenou que fosse feita expiação para cada um dos compartimentos sagrados. "Fará expiação pelo santuário por causa das imundícias dos filhos de Israel e das suas transgressões, segundo todos os seus pecados: e assim fará para a tenda da congregação que mora com eles no meio das suas imundícias." Devia também ser feita expiação pelo altar, para o purificar e santificar "das imundícias dos filhos de Israel". “ Lev. 16:16 e 19. Cristo em seu santuário pág. 93

“A parte mais importante do ministério diário era a oferta efetuada em prol do indivíduo. O pecador arrependido trazia a sua oferta à porta do tabernáculo e, colocando a mão sobre a cabeça da vítima, confessava seus pecados, transferindo-os assim, figuradamente, de si para o sacrifício inocente. Pela sua própria mão era então morto o animal, e o sangue era levado pelo sacerdote ao lugar santo e aspergido diante do véu, atrás do qual estava a arca que continha a lei que o pecador transgredira. Por esta cerimônia, mediante o sangue, o pecado era figuradamente transferido para o santuário. Nalguns casos o sangue não era levado ao lugar santo; mas a carne deveria então ser comida pelo sacerdote, conforme instruiu Moisés aos filhos de Arão, dizendo: "O Senhor a deu a vós, para que levásseis a iniqüidade da congregação." Lev. 10:17. Ambas as cerimônias simbolizavam semelhantemente a transferência do pecado, do penitente para o santuário.”  Cristo em seu santuário, pág. 35

 

       Pelas citações que vimos anteriormente, ensina-se na escola teológica adventista que quando o pecador confessava seus pecados sobre o animal a ser sacrificado, este ato, significava uma transferência da culpa pelo pecado cometido para o inocente animal que pagaria com a vida o preço pela culpa do pecado, tendo seu sangue derramado. Parte deste sangue contaminava o santuário, pois era por meio do sangue que os pecados eram transferidos para dentro do santuário, conforme as citações acima.

       Isto se dava nas vezes em que os sacerdotes após o sacrifício do inocente animal, recolhiam numa vasilha (cadinho) um pouco do sangue do animal sacrificado para levá-lo para dentro do santuário com o propósito de aspergi-lo diante do véu, ou do propiciatório, ou nas bases e nas pontas do altar do templo. Levítico 4:5-7

Levítico 4:5   Então, o sacerdote ungido tomará do sangue do novilho e o trará à tenda da congregação;

Levítico 4:6   e, molhando o dedo no sangue, aspergirá dele sete vezes perante o SENHOR, diante do véu do santuário.

Levítico 4:7   Também daquele sangue porá o sacerdote sobre os chifres do altar do incenso aromático, perante o SENHOR, altar que está na tenda da congregação; e todo o restante do sangue do novilho derramará à base do altar do holocausto, que está à porta da tenda da congregação.

Levítico 15-18

Levítico 4:15   Os anciãos da congregação porão as mãos sobre a cabeça do novilho perante o SENHOR; e será imolado o novilho perante o SENHOR.

Levítico 4:16   Então, o sacerdote ungido trará do sangue do novilho à tenda da congregação;

Levítico 4:17   molhará o dedo no sangue e o aspergirá sete vezes perante o SENHOR, diante do véu.

Levítico 4:18   E daquele sangue porá sobre os chifres do altar que está perante o SENHOR, na tenda da congregação; e todo o restante do sangue derramará à base do altar do holocausto, que está à porta da tenda da congregação.

Levítico 24-25

Levítico 4:24   E porá a mão sobre a cabeça do bode e o imolará no lugar onde se imola o holocausto, perante o SENHOR; é oferta pelo pecado.

Levítico 4:25   Então, o sacerdote, com o dedo, tomará do sangue da oferta pelo pecado e o porá sobre os chifres do altar do holocausto; e todo o restante do sangue derramará à base do altar do holocausto.

Levítico 27-30

Levítico 4:27   Se qualquer pessoa do povo da terra pecar por ignorância, por fazer alguma das coisas que o SENHOR ordenou se não fizessem, e se tornar culpada;

Levítico 4:28   ou se o pecado em que ela caiu lhe for notificado, trará por sua oferta uma cabra sem defeito, pelo pecado que cometeu.

Levítico 4:29   E porá a mão sobre a cabeça da oferta pelo pecado e a imolará no lugar do holocausto.

Levítico 4:30   Então, o sacerdote, com o dedo, tomará do sangue da oferta e o porá sobre os chifres do altar do holocausto; e todo o restante do sangue derramará à base do altar.

Levítico 5: 9 

Levítico 5:9   Do sangue da oferta pelo pecado aspergirá sobre a parede do altar e o restante do sangue, fá-lo-á correr à base do altar; é oferta pelo pecado.  

Levítico 16: 14; 19

Levítico 16:16   Assim, fará expiação pelo santuário por causa das impurezas dos filhos de Israel, e das suas transgressões, e de todos os seus pecados. Da mesma sorte, fará pela tenda da congregação, que está com eles no meio das suas impurezas.

Levítico 16:19   Do sangue aspergirá, com o dedo, sete vezes sobre o altar, e o purificará, e o santificará das impurezas dos filhos de Israel. etc...   

        É muito importante observar que embora os animais sacrificados estivessem substituindo os pecadores, na verdade eles não representavam os pecadores, mas representavam a Cristo, o substituto dos pecadores. Foi Cristo que morreu em nosso lugar, assim o sangue dos animais sacrificados não representava o sangue dos pecadores, mas o sangue do Verdadeiro Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo. Se o sangue dos animais representava o sangue do Filho de Deus, sendo derramado em favor do pecador e era este sangue que era levado para dentro do santuário, então o que contaminava o santuário simbolicamente era o sangue de Jesus.

       A pergunta que fica para nossa reflexão e analise é: Afinal, o sangue de Jesus contaminava ou purificava o santuário? 

       Se o sangue contaminava o santuário, então a teologia adventista esta correta conforme nós podemos verificar pelas citações acima, dos livros publicados pela IASD.

      Se o sangue não contamina, mas purifica o santuário, então há algo de errado nesta teoria doutrinaria que necessita ser revista.

 

       O que diz a bíblia acerca do sangue dos animais e o sangue de Jesus?

 

Êxodo 29:21  Tomarás, então, do sangue sobre o altar e do óleo da unção e os aspergirás sobre Arão e suas vestes e sobre seus filhos e as vestes de seus filhos com ele; para que ele seja santificado, e as suas vestes, e também seus filhos e as vestes de seus filhos com ele.”

Levítico 14:14 O sacerdote tomará do sangue da oferta pela culpa e o porá sobre a ponta da orelha direita daquele que tem de purificar-se, e sobre o polegar da sua mão direita, e sobre o polegar do seu pé direito.”

Levítico 16:19  “Do sangue aspergirá, com o dedo, sete vezes sobre o altar, e o purificará, e o santificará das impurezas dos filhos de Israel.”

Pelo que podemos perceber o sangue dos animais, não contaminavam absolutamente nada, muito pelo contrário, o sangue era utilizado para purificar e santificar.

Levitico 16:15-16 “Depois, imolará o bode da oferta pelo pecado, que será para o povo, e trará o seu sangue para dentro do véu; e fará com o seu sangue como fez com o sangue do novilho; aspergi-lo-á no propiciatório e também diante dele. Assim, fará expiação pelo santuário por causa das impurezas dos filhos de Israel, e das suas transgressões, e de todos os seus pecados. Da mesma sorte, fará pela tenda da congregação, que está com eles no meio das suas impurezas.”

        Observe irmãos que o que contaminava o santuário eram as impurezas praticadas pelos filhos de Israel e não o sangue dos sacrifícios. Assim a purificação do santuário, na verdade era a purificação dos filhos de Israel, visto que se os pecados dos filhos de Israel, não fossem apagados, certamente que seus pecados continuariam contaminando o santuário e este, jamais poderia ser puro havendo pecados não purificados ou apagados. 

O sangue fazia expiação segundo o texto bíblico citado acima. E o que significa Expiar?

        Suponho que todos sabem o significado, mas para os que são mais novos na fé, expiar era o ato de reconciliar o pecador com Deus, pelo processo de limpeza ou de purificação dos pecados. Todos os pecados do pecador até então não purificados eram por meio desta cerimônia apagados, perdoados, purificados. Isto como nós vimos no verso anterior se dava mediante o aspergir do sangue.

Efésios 2:13  Mas, agora, em Cristo Jesus , vós, que antes estáveis longe, fostes aproximados pelo sangue de Cristo.”

Colossenses 1:20  “... e que, havendo feito a paz pelo sangue da sua cruz, por meio dele, reconciliasse consigo mesmo todas as coisas, quer sobre a terra, quer nos céus”.

         Isto significa mais uma vez que o sangue não contaminava o santuário, mas o purificava. Se isto é uma verdade, então as citações de que o santuário era contaminado pelo sangue, que fazia a transferência dos pecados para o santuário, esta totalmente em desacordo com o que diz a palavra de Deus, esta totalmente equivocada e nós devemos rever os nossos conceitos de purificação do santuário.

Hebreus 9:22  “Com efeito, quase todas as coisas, segundo a lei, se purificam com sangue; e, sem derramamento de sangue, não há remissão.”

 1 João 1:7 “Se, porém, andarmos na luz, como ele está na luz, mantemos comunhão uns com os outros, e o sangue de Jesus, seu Filho, nos purifica de todo pecado.”

        Observe queridos irmãos, a citação de João e de que o sangue nos purifica de TODO pecado. Desta forma, isto nos mostra que o sangue de Jesus derramado uma única vez, é suficiente para apagar todos os nossos pecados tanto os cometidos no passado quanto aqueles que possivelmente sejam cometidos no futuro. Obviamente se nós lançarmos mão deste precioso sangue por meio da fé.

 

         Atente agora para seguinte citação:

 

Como antigamente os pecados do povo eram transferidos, em figura, para o santuário terrestre mediante o sangue da oferta pelo pecado, assim nossos pecados são, de fato, transferidos para o santuário celestial, mediante o sangue de Cristo. E como a purificação típica do santuário terrestre se efetuava mediante a remoção dos pecados pelos quais se poluíra, conseqüentemente, a real purificação do santuário celeste deve efetuar-se pela remoção, ou apagamento, dos pecados que ali estão registrados. Isso necessita um exame dos livros de registro para determinar quem, pelo arrependimento dos pecados e fé em Cristo, tem direito aos benefícios de Sua expiação. A purificação do santuário, portanto, envolve uma obra de juízo investigativo. Isto deve efetuar-se antes da vinda de Cristo para resgatar Seu povo, pois quando vier, Sua recompensa estará com Ele para dar a cada um segundo as suas obras.” Apoc. 22:12.  Historia da Redenção, Pág. 378

 

         Bom... Agora as coisas se complicam ainda mais.

         O santuário terrestre construído pela mão dos próprios Israelitas estava situado no meio do povo. O templo como sabemos ficava estrategicamente no cetro do arraial de Israel. De que forma alguma coisa ou alguém pode ser contaminado com qualquer coisa que contamine?

         É necessário que haja algum tipo de contato com o objeto contaminador ou propagador da contaminação. Ninguém fica resfriado, ou pega um vírus (virose) sem que de alguma forma entre em contato com o agente contaminador. 

         Necessário era que o templo construído pelos israelitas de alguma forma fosse purificado, visto que estava em contato direto com as impurezas cometidas pelo próprio povo que o havia construído. Lev. 16:16. Portanto, pela citação do livro H.R. pág. 378, as coisas celestiais foram contaminadas pelo sangue de Cristo, que foi usado como meio de transferência dos nossos pecados para um "santuário celestial". (Convêm lembrar que o santuário construído pelos israelitas era uma "figura" e não uma copia das coisas celestiais. Heb. 9:23. Embora tenhamos aceitado por muitos anos que era uma cópia, temos que admitir que a bíblia em lugar algum afirma ser uma cópia. Mas não vamos comentar agora sobre isto) Se é uma verdade que o sangue de Jesus, contaminou o santuário  então, para que a contaminação do santuário celestial seja removida, necessário é que o sangue de Cristo seja então removido deste santuário, pois o mesmo é o responsável por sua (do santuário) contaminação segundo a citação do livro H.R pág. 378. Isto esta ficando muito complicado, pois o sangue que deveria ser o agente purificador passou a ser o agente contaminador.

Façam suas reflexões...

 


Você está preparado espiritualmente? Sua família está preparada? Você está protegendo seus amados da forma adequada? Esta é a razão deste ministério, fazê-lo compreender os perigos iminentes e depois ajudá-lo a criar estratégias para advertir e proteger seus amados. Após estar bem treinado, você também pode usar seu conhecimento como um modo de abrir a porta de discussão com uma pessoa que ainda não conheça o plano da salvação. Já pude fazer isso muitas vezes e vi pessoas receberem Jesus Cristo em seus corações. Estes tempos difíceis em que vivemos também são um tempo em que podemos anunciar Jesus Cristo a muitas pessoas.

Se você recebeu Jesus Cristo como seu Salvador pessoal, mas vive uma vida espiritual morna, precisa pedir perdão e renovar seus compromissos. Ele o perdoará imediatamente e encherá seu coração com a alegria do espírito de Deus. Em seguida, você precisa iniciar uma vida diária de comunhão, com oração e estudo da Bíblia.

Se você nunca colocou sua confiança em Jesus Cristo como Salvador, mas entendeu que Ele é real e que o Fim dos Tempos está próximo, e quer receber o Dom Gratuito da Vida Eterna, pode fazer isso agora, na privacidade do seu lar. Após confiar em Jesus Cristo como seu Salvador, você nasce de novo espiritualmente e passa a ter a certeza da vida eterna em Seu Reino, como se já estivesse com Ele.  Se quiser saber como nascer de novo, CLIC AQUI AGORA!!!

No entanto, se a dificuldade está nas doutrinas (de homens) que a sua igreja prega, siga então o último conselho bíblico: Saia dela Povo Meu! Apoc 18:4.

...E, se Eu for e vos preparar lugar, virei outra vez, e vos tomarei para Mim mesmo, para que onde Eu estiver estejais vós também. João 14:3

Esperamos que este ministério seja uma bênção em sua vida. Nosso propósito é educar e advertir as pessoas, para que vejam que Jesus está às portas!!!

Que Deus o abençoe.

 

 

Clic Aqui para enviar esta Matéria para um amigo!

 

HOME

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

..