Make your own free website on Tripod.com

Monte Sinai

Grupos de Estudos Leigos

ENCONTRO DE LÍDERES - I

E disse-lhes: Ide por todo o mundo, e pregai o evangelho a toda criatura.  Quem crer e for batizado será salvo; mas quem não crer será condenado. Marcos 16:15-16

 

O Princípio dos Grupos de Estudos Leigos na Bíblia

MATERIAL DE TREINAMENTO

1ª REUNIÃO

INTRODUÇÃO:

        No plano da salvação é notória a maneira como Deus usa o Grupo de Estudos Leigos – GEL – para atingir uma grande multidão. Do Éden aos nossos dias, Ele sempre lançou mão desse princípio nos momentos marcantes e decisivos de Sua Igreja. Estudaremos a seguir algumas dessas intervenções.

 

I – O PRIMEIRO GRUPO

      Adão e seus Descendentes -      Foi formado por Adão e Eva e a ordem expressa de Deus para o casal foi clara:  “E Deus os abençoou e disse: Sede fecunda, multiplique-vos e enchei a terra e sujeitai...” Gên. 1:28. Aqui Deus usa um casal para atingir uma grande multidão.

 

II – O SEGUNDO GRUPO

         Teve como componentes Noé e sua família -      Agora Deus reduz a multidão corrupta a um Grupo liderado por Noé. A Bíblia descreve algumas características dele: Gên. 6:8,9: “Porém, Noé achou graça diante do Senhor.” Eis a história de Noé:  “Era homem justo e íntegro entre os seus contemporâneos, Noé andava com Deus.” A terra agora vai ser povoada por um Grupo (8 pessoas) novamente e com a bênção de Deus. Gên. 9:1:  “Abençoou Deus a Noé e a seus filhos disse: Sede fecundos, multiplicai-vos e enchei a terra” e Deus firmou uma aliança com Noé de que a terra nunca mais seria destruída por um dilúvio. Gên. 9:9,10.

     Portanto, uma grande multidão foi reduzida a um Grupo  e agora este formará uma multidão novamente.

III – O TERCEIRO GRUPO  

             Foi formado por Abraão e seus descendentes - Este Abraão, Deus tira do meio da multidão, para que através dele, fosse formada uma nova multidão com uma nova maneira de pensar e agir em relação a Deus e ao próximo. O processo grupo-multidão é novamente repetido. O líder escolhido por Deus era um homem rico e que morava numa terra pagã, distante. Escutemos o chamado de Deus para ele:  “Ora, disse o Senhor a Abraão: Sai da tua terra, da tua parentela e da casa de teu pai e vai para uma terra que te mostrarei; de te farei uma grande nação e te abençoarei e te engrandecerei o nome. Sê tu uma bênção.” Gên. 12:12.

 

         O propósito de Deus cumprido - Abraão já havia morrido, a grande multidão estava formada, mas havia um problema, ela estava no cativeiro do Egito, paganizada novamente. Deus novamente interveio, chamou um novo líder para libertar o povo e conduzi-lo a Canaã. Ele escolheu Moisés e seu irmão Arão. Assim Deus falou a Moisés:  “Eu serei contigo, ... Eu Sou o que Sou... vai, pois, agora e Eu serei com a tua boca e te ensinarei o que hás de falar... e vos ensinarei o que deveis fazer.” Gên. 3:11, 14; 4:12 e 15.

 

        Deus libertou o povo de forma sobrenatural, mas havia agora outro problema: a liderança da multidão estava centralizada apenas em um homem, este era uma pessoa boa, responsável e temente a Deus, mas precisava “aprender” novos princípios de liderança.

         Deus fala ao Líder -   O contexto era esse; O sogro de Moisés escuta as notícias acerca do que Deus estava fazendo através dele (Moisés) e vai ao acampamento e aproveita para levar a família de Moisés. Jetro estava encantado com tudo o que estava presenciando, mas viu um quadro que lhe deixou estarrecido, chocado, perplexo, preocupado: um homem só querendo fazer tudo, centralizando as coisas e querendo atender a todos. Imagine o quadro: Filas quilométricas, o povo aborrecido, reclamando, e Moisés cansado, sem tempo para a família e quanto mais trabalhava mais o trabalho se multiplicava. Um observador à distância vendo tudo aquilo e pensando: Pobre deste povo. Coitado deste líder. Para onde irão?

      Vamos ler Êxodo 18:13-23 e responder à medida que fazem a leitura, as seguintes perguntas:

Ä                                          O que o sogro de Moisés o viu fazer? Verso 13

Ä                                          Quais as duas perguntas que Jetro fez? Verso 14

Ä                                          Qual a resposta de Moisés? Verso 15 e 16

Ä                                          Qual a repreensão de Jetro? Versos 17 e 18

Ä                                          Conselho: Versos 19-23

Ä                                          Moisés aceitou e colocou em prática a orientação? Versos 24 e 25

Nota: O líder inteligente muda antes do caos chegar completamente.

Ä                                          Qual foi o comportamento do povo e de Moisés? Verso 26

 

IV - O QUARTO GRUPO

             Foi liderado por Jesus num tempo da história da humanidade – “Vindo, porém, a plenitude do tempo, Deus enviou Seu Filho, nascido de mulher, nascido sob a lei, para resgatar os que estavam sob a lei, a fim de que recebêssemos a adoção de filhos.” Gálatas 4:4,5.

         Oração e Escolha do Grupo - “Naqueles dias, retirou-se para o monte a fim de orar, e passou a noite com Deus. E quando amanheceu, chamou a si os Seus discípulos e escolheu doze entre eles, aos quais deu também o nome de apóstolos”. Lucas 12 e 13.

             “Tendo Jesus convocado os doze, deu-lhes poder e autoridade sobre os demônios e efetuar curas. Também os enviou a pregar o Reino de Deus e a curar os enfermos.” Lucas 9:1-2.

    

             Inicialmente, a sinagoga foi o primeiro campo de evangelização. A organização litúrgica estava voltada para a promoção à disciplina, devoção e estudo.  O culto consistia de Shemah, a oração, da leitura da Lei e dos profetas, à qual geralmente seguia-se uma explanação e da bênção. Qualquer membro da congregação podia ser convocado para ler as escrituras, e qualquer um podia fazer a explanação”.

 

             Os cristãos não perderam estas oportunidades e nas três primeiras décadas, puderam evangelizar muitas pessoas que freqüentavam as sinagogas. Geralmente iniciavam a sua explanação falando da história de Israel, para mostrar que tinham a mesma origem e fé, e finalmente chegavam ao clímax da auto-revelação de Deus. Jesus Cristo, morto e ressureto, como verdadeiro Messias que veio para salvar Israel. Mas as portas das sinagogas se fecharam  e não puderam mais pregar livremente nas reuniões. Leia Ecle 1:9.

 

             Partiram para a pregação ao ar livre como Jesus fazia. “A pregação era centralizada na pessoa, missão, paixão, ressurreição e poder de Jesus de Nazaré”. Evangelização na Igreja Primitiva. Mas logo veio a perseguição, o que facilitou a divisão dos crentes em Grupos de Estudos Leigos para estudo, discussão e debate do evangelho nas casas particulares, e tal procedimento passou a ser uma estratégia fundamental na divulgação do Evangelho. Quando os métodos tradicionais falharam, os Grupos de Estudos Leigos tomaram a dianteira e assumiram a unidade e a centralidade no plano mestre de evangelização.

 

             A evangelização nos lares passou a ser um elemento significativo e básico para a proclamação do evangelho.

 

Os fatores determinantes do sucesso dos Grupos de Estudos Leigos naqueles dias foram:

 

1.    Poucas Pessoas

         O número pequeno de pessoas em cada grupo facilitava a troca de idéias e os assuntos eram completamente debatidos.

 

2.    O Líder junto do povo

         O dirigente não ficava isolado do povo como no templo, sinagoga e a pregação ao ar livre, ele estava junto às pessoas, levantava os assuntos e coordenava os debates, e assim a verdade era ensinada e os laços de amizade eram estreitados.

 

3.    Ambiente Informal

         O lar era um ambiente informal e descontraído, o que propiciava a livre participação de todos, num clima de amizade e busca de edificação mútua em Cristo e uns aos outros.

 

4.    Hospitalidade

         O anfitrião recebia seus convidados como se fossem o próprio Cristo, o crente apreciava receber crentes e muito mais aqueles que vinham em busca de Cristo. A hospitalidade foi um fator importante no programa de evangelização da Igreja Primitiva.

    As Igrejas nos Lares

    Logo as igrejas nos lares espalharam-se por toda parte:

o       Em Tessalônica funcionava na casa de Jasom. Atos 17:5

o       Em Corinto a igreja estava na casa de Tício Justo em frente à sinagoga. Atos 18:7

o       A casa de Filipe em Cesaréia, onde Paulo era hospedado. Atos 21:8

o       As casas de Lídia e do carcereiro de Filipos foram usadas. Atos 15:15, 32-34.

o       Uma igreja na casa da mãe de João Marcos em Jerusalém. Atos 12:12

            

             Os Grupos de Estudos Leigos ou as igrejas nos lares se tornaram a estratégia determinante na difusão da fé cristã.

 

CONCLUSÃO:

                Resultados extraordinários foram conseguidos em pouco tempo, não é de se admirar a declaração de Paulo:  “Se é que permaneceis na fé, alicerçados e firmes, não vos deixando afastar da esperança do evangelho que ouviste e que foi pregado a toda criatura debaixo do céu, do qual eu, Paulo, me tornei ministro.” Col. 1:23

                Qual foi o segredo de tão grande êxito?  “E todos os dias no templo e de casa em casa, não cessavam de ensinar e pregar Jesus, o Cristo.” Atos 5:42.

NOTA: Esta é a oportunidade de apresentar a mensagem do Deus único!

                Até os incrédulos reconheceram o sucesso alcançado pelos missionários da Igreja Primitiva. Escutem como foi a reação em Tessalônica:  “...estes que têm transtornado o mundo chegaram também aqui.” Atos 17:6 u.p.

                A história irá se repetir novamente e a terra serão iluminados com a glória do Senhor outra vez. Isto é profecia: “Em visões da noite passaram diante de mim representações de um grande movimento reformatório entre o povo de Deus. Muitos estavam louvando a Deus. Os enfermos eram curados, e outros milagres se operavam.. Viam-se centenas e milhares visitando famílias e abrindo eles a Palavra de Deus. Os corações eram convencidos pelo poder do espírito Santo, e manifestava-se um espírito de genuína conversão. Portas se abriram por toda parte à proclamação da verdade. O mundo parecia iluminado pela influência celeste. Grandes bênçãos eram recebidas pelo fiel e humilde povo de Deus”. E nós participaremos desta vitória.

                No próximo encontro estudaremos o princípio do Grupo de Estudos Leigos – GEL – nos escritos de Ellen White, uma profetiza a serviço de Deus,  e veremos como Deus atuará de maneira sobrenatural para o cumprimento desta profecia através dos Grupos de Estudos Leigos.

 

Voltar para GEL

RETORNAR