Make your own free website on Tripod.com

Monte Sinai

Grupos de Estudos Leigos

ENCONTRO DE LÍDERES - II

E disse-lhes: Ide por todo o mundo, e pregai o evangelho a toda criatura.  Quem crer e for batizado será salvo; mas quem não crer será condenado. Marcos 16:15-16

 

O PRINCÍPIO DOS GRUPOS DE ESTUDOS LEIGOS NOS ESCRITOS DE ELLEN WHITE – Uma profetiza do século 19.

 

MATERIAL DE TREINAMENTO

2ª REUNIÃO

INTRODUÇÃO:

 

II Crônicas 20:20 – “Pela manhã...”

                Nós não acreditamos em revelação parcial. Acreditamos na revelação onde Deus se encontra com o profeta e lhe comunica verdades para Seus filhos, e o profeta, inspirado por Deus, transmita à Igreja as sagradas orientações.

                O Seu espírito ilumina os filhos de Deus para estas verdades e assim são cumpridos os Seus desígnios.

                Acreditamos que Ellen White foi inspirada por Deus e entendemos que sendo suas orientações de acordo com a Bíblia, são normativas para todos os membros da Igreja dos últimos dias...

 

I – PARTICIPAÇÃO DO GRUPO

1.    Leia novamente II Crônicas 20:20

2.    Por que há segurança e prosperidade quando acreditamos nos profetas?                          (Pergunte a 2 ou 3 pessoas ou como achar melhor).

 

II – O QUE ELLEN WHITE ENSINOU SOBRE OS GRUPOS DE ESTUDOS LEIGOS?

1.    Tempo, Organização e Resultados:

        “O tempo é breve e nossas forças têm de ser organizadas para fazer uma obra mais ampla”.

2.    Orientação: Um que não pode errar

        “A formação de Grupos de Estudos Leigos como base do esforço cristão foi-me apresentada por Aquele que não pode errar”.

3.    O contexto desta afirmação:

        Durante o ano de 1890, na Austrália, tempo do ministério de Ellen White ali, eventos contribuíram para o que é conhecido como Reavivamento Welsh, nos arredores de Melbourne. Os pastores de outras denominações organizaram os membros em grupos de estudo da Bíblia, oração e testemunho. Logo, havia em Melbourne cerca de 2000 grupos reunindo-se semanalmente. Os pastores envolvidos neste ministério de Grupos de Estudos Leigos convidaram o evangelista interdenominacional R. A. Torrey, que conduziu campanhas evangelísticas com resultados tremendos. Isso causou impacto à Igreja na Austrália, e durante este tempo Deus enfatizou a Ellen White a importância dos Grupos de Estudos Leigos. Em 15 de agosto de 1902, ela deu a seguinte mensagem:  “A formação de Grupos de Estudos Leigos, como base do esforço cristão é um plano que tem sido apresentado perante mim por Aquele que não pode errar”.

4.    Ensinar e Educar:

        “Meus irmãos do Ministério, não penseis que o único trabalho que podeis fazer, a única maneira que podeis operar em benefício de almas, seja fazer discursos. A melhor obra que podeis fazer é ensinar, educar. Onde quer que vos depare uma oportunidade de assim fazer, sentai-vos com algumas famílias e deixai que vos façam perguntas. Respondei-lhes então, parcialmente, humildemente... pregai menos e educai mais, mediante estudos bíblicos e orações feitas nas famílias, ou Grupos de Estudos Leigos”.

5.    Um trabalho por fazer:

        “Há uma obra que ainda não foi feita neste ramo, e que deverá sê-lo. Ensinem os obreiros de Deus a verdade em famílias, aproximando-se desses por quem trabalham... Cristo os guiará em seu trabalho, com eles entrando na casa do povo e dando-lhes palavras que farão profunda impressão no coração dos ouvintes”.

6.    Grandes Igrejas – Dividir em Grupos de Estudos Leigos:

        “Se há na igreja grande número de membros, convém que se organizem em Grupos de Estudos Leigos a fim de trabalhar”.

7.    Igrejas Pequenas – Dividir em Grupos de Estudos Leigos:

        “Se num lugar houver apenas dois ou três que conheçam  a verdade, organizem-se num grupo de obreiros”.

8.    Os resultados serão melhores do que os obtidos por meio tradicionais (sermões ao ar livre, salões e igrejas).

                “Assim diz o Senhor: A apresentação de Cristo em família e em pequenas reuniões em casas particulares é muitas vezes bem mais sucedida em atrair almas para Jesus do que sermões ao ar livre, ou mesmo em salões e igrejas”.

                “Haja em cada igreja, grupos bem organizados de obreiros para trabalhar na vizinhança, para que esta obra se introduza sem delonga e a Verdade será como fermento na terra”.

 

Abra espaço para um amplo debate destas perguntas – deixe os membros falarem.

 

                “Unicamente os métodos de Cristo trarão verdadeiro êxito no aproximar-se do povo”.

                “Deus tem retido Suas bênçãos porque Seu povo não tem trabalhado em harmonia com Seus métodos”.

                “Se já foi dispensável compreender e seguir os corretos métodos de ensino de Cristo, bem como imitar-lhe o exemplo, esse tempo é agora”.

 

9.    Cristo presente nas reuniões:

                “Nessas pequenas reuniões, o próprio Cristo está presente segundo prometeu e os corações serão tocados por Sua graça”.

10.                       Vizinhos e Familiares:

                “Convidai-os a se reunirem convosco em cânticos e orações... Falai, orai, cantai a cerca de Cristo crucificado, e isso comoverá e cativará corações”.

 

III – OS QUATRO OBJETIVOS DOS Grupos de Estudos Leigos:

 

1.    Para estudar a Bíblia

                  “Que os Grupos de Estudos Leigos se reúnam pela manhã e à noite para estudar a Bíblia por eles mesmos. Que tenham períodos de oração, que sejam fortalecidos, iluminados e santificados pelo espírito Santo...”.

2.    Momento para oração

3.    Confraternização, amizade, companheirismo

4.    Testemunho

                  “Que cada um conte sua experiência com sinceras palavras. Isto dará mais alento e gozo à alma do que todos os prazenteiros instrumentos musicais que possam ser usados nas igrejas. Cristo entrará em vossos corações. Este é o único meio pelo qual podeis manter vossa integridade”.

                  “Contai-lhes a ventura que nos advém de sentar-nos aos pés de Jesus, aprendendo preciosas lições de Sua Palavra. Falai-lhe da alegria, do gozo que existe na vida cristã. Vossas palavras calorosas, cheias de fervor, hão de convencê-los de que encontrastes a pérola de grande preço. Que vossas palavras alegres e animadoras demonstrem que achastes com certeza a estrada melhor. Isto é trabalho genuíno, e em ele sendo feito, muitos acordarão como de um sonho”.

Conclusão:

                Os irmãos querem uma igreja renovada, reformada, vitalizante, poderosa, cheia do poder de Deus?

                “Haja em cada igreja, grupos bem organizados de obreiros para trabalhar nas vizinhanças da igreja... quando tais forças forem postas a operar em todas as nossas igrejas, haverá um poder renovador, reformador, vitalizante nas igrejas, porque os membros estarão fazendo o trabalho que Deus determinou fazer”.

                Oração em dupla, ajoelhados:  suplicando a Deus  para que esta realidade se cumpra na igreja.

 

Voltar para GEL

RETORNAR