Make your own free website on Tripod.com

Monte Sinai

 
21 - O Servo Sofredor de DEUS

 

 

 

1. AO CONSIDERARMOS o assunto de vital importância, "0 Servo Sofredor de Deus", leiamos primeiramente do Talmude Babilônico:

"Rab disse que o mundo foi criado somente por causa de Davi. Samuel disse: por causa de Moisés; R. Johanan disse: Por amor do Messias. Qual é o seu [do Messias] nome? - A Escola de R. Shila dizia: Seu nome é Siló, pois está escrito, Certamente ele levou nossas dores, e levou nossos sofrimentos: contudo o tivemos na conta de um leproso, ferido de Deus, e aflito [Isa. 53:4]:" Sanhedrin 98b (vol. 2, págs. 667, 668, da edição Soncino de 1935).

2. Aqui descobrimos que nossos sábios, muitos séculos atrás, aplicaram Isaías 53 ao Messias. Uma vez que nossos precursores, escrevendo no Talmude, aplicam Isaías 53 ao Messias, é muito importante para nós lermos o capítulo e considerarmos exatamente por que eles o aplicam ao Redentor.

3. A Bíblia como originalmente escrita não foi separada em capítulos. As divisões que agora temos são basicamente concepções humanas sobre como os capítulos deveriam ser divididos, segundo as decisões tomadas por eruditos para propósito de referência. Contudo, ao lermos a Bíblia descobrimos que a divisão do capítulo 53 foi feita exatamente três versos depois. Deveria obviamente ser dividido desde o capítulo 52, verso 13, como se pode ver por uma cuidadosa leitura da passagem.

4. A primeira parte de Isaías 52:13 (J) reza desta forma: "Eis que o meu Servo prosperará." Então no capítulo 53, a última parte do verso 11, lemos, "Meu Servo justificará os justos perante muitos." Essa parte completa, desde [saias 52:13 até o fim de Isaías 53, trata claramente do Servo de Deus.

A declaração seguinte apóia isso: "Há, contudo, quatro passagens na compilação de Isaías onde talvez a interpretação 'nacional' não é admissível, a saber, Isa. 42:1-4;  49:1-6, 1:4-9, 52:13, 53:12. As descrições nelas da atitude e conduta de 'ebed YHWH parecem ser idealizações do caráter de um indivíduo, ao invés do que de todo o Israel. Isto é especialmente verdade em Isa. 52:13. 53:12. A exaltação do 'homem do sofrimento.' " - The Jewish Encyclopedia, vol. 2, pág. 204, art. "Servant of God."

5. 0 tópico escolhido para este estudo é intitulado "0 Servo Sofredor de Deus" porque o próprio Deus 0 chama de Seu Servo. A fim de que possamos saber quem é este Servo e, por que nossos salvos aplicaram o título "Servo de Deus" ao Messias, leremos desde o verso 13 do capítulo 52 até o final do capítulo 53.

6. - "Eis que o Meu Servo procederá com prudência, será exaltado e elevado, e será mui sublime. Como pasmaram muitos à vista dele, pois o seu aspecto estava mui desfigurado, mais do que o de outro homem qualquer, e a sua aparência mais do que a dos outros filhos dos homens, assim causará admiração às nações, e os reis fecharão as suas bocas por causa dele; porque aquilo que não lhes foi anunciado verão, e aquilo que não ouviram entenderão. Quem creu em nossa pregação? E a quem foi revelado o braço do Senhor? Porque foi subindo como renovo perante ele, e como raiz duma terra seca.'' Isaías 52:13-53:2.

7. Aqui descobrimos que Deus chama Seu Messias de "Meu Servo"; e a respeito dEle disse: "Meu Servo agirá com prudência." Com respeito a Seu Servo, Ele disse mais: "será exaltado e elevado, e será mui sublime."

8. Agora note a descrição do profeta quanto a esse Servo no verso 14: "Como se pasmaram muitos à vista dele.'' E veja a resposta bíblica: "0 Seu aspecto era mui desfigurado, mais do que o de outro homem qualquer, e a sua aparência mais do que a dos outros filhos dos homens." Isto significa exatamente o que é declarado. A obra do Messias, em levar a efeito o plano de salvação para redimir o homem do pecado, seria de tal natureza a ponto de desfigurar Sua aparência e forma (ou o corpo físico).

9. 0 Verso 15 de Isaías 52 indica o relacionamento do Messias para com outros dirigentes. "Assim causará admiração a muitas nações. Os reis fecharão as suas bocas por causa dele." (J) Aqui vemos que a influência do Messias seria tão grande que "os reis da terra fecham suas bocas perante ele.'' Em outras palavras, eles, também, teriam respeito pelo Messias, e assim é, de fato. Hoje encontramos reis da terra prestando respeito ao Messias.

10. 0 primeiro verso de Isaías 53 revela a forma em que o Messias seria recebido. "Quem creu em nossa descrição?" (H) Deus, através do profeta hebreu Isaías, está falando ao Seu próprio povo hebreu e, ao se referir a eles, pergunta: "Quem teria acreditado em nossa descrição?" Consideremos nosso povo judeu hoje espalhado por todo o mundo. Quantos crêem no Messias? Quantos crêem nessa descrição?

11. Sendo que Deus sabia que nosso povo judeu como uma nação ignoraria ou rejeitaria tal descrição, Ele formula esta pergunta: "Quem creu em nossa descrição? E a quem foi revelado o braço do SENHOR?" Em outras palavras: A quem é revelado o plano de salvação através do Messias? Quem crê nisso? Certamente, com tais palavras como estas escritas na Bíblia hebraica, é alto tempo para que nosso povo judaico reconsidere sua posição com respeito ao Messias e releia essas profecias para descobrir a quem elas se aplicam.

12. Ao continuarmos a ler Isaías, capítulo 53, encontraremos uma linguagem neste capítulo da Bíblia hebraica, comumente chamada de Velho Testamento, muito semelhante à do Novo Testamento.

13. Lemos no verso 2 (H): "Porque ele cresceu perante ele como uma delicada planta e como a raiz duma terra seca; não tinha aparência nem formosura; olhamo-lo, mas nenhuma beleza havia que nos agradasse." Por quê? A resposta se encontra no capítulo 52, verso 14 (H): "Como pasmaram muitos à vista dEle; pois o seu aspecto estava mui desfigurado, mais do que o de qualquer outro homem, e a sua aparência mais do que a dos outros filhos dos homens."

14. Note-se que no verso 3, Deus diz com respeito ao Messias:

- "Ele era desprezado, e o mais rejeitado entre os homens, um homem de dores e que sabe o que é padecer; e como um de quem os homens escondem o rosto; ele desprezado, e dele não fizemos caso." (F)

Ouçamos o triste pronunciamento: "Ele era desprezado, e dele não fizemos caso." E nós, quem somos? Nós, a nação hebréia; nós, nosso próprio povo judeu. Nós o desprezamos e o rejeitamos. Ele é "um homem de dores e que sabe o que é sofrimento: e nós como que escondemos dele a nossa face; ele foi desprezado e dele não fizemos caso."

15. Quão triste é o fato de que a maioria de nosso povo judeu, nossa nação hebréia, rejeitou e desprezou nosso próprio Messias judaico; e muitos no mundo gentio 0 aceitaram. Hoje a Bíblia judaica é lida e reverenciada por milhões no mundo gentio, a mesma Bíblia que tantos de nosso povo judeu hoje raramente, se alguma vez, lêem. Observe os versos 4 e 5 (H):

- "Certamente ele suportou sofrimentos infligidos por nós e sofreu tristezas que nós mesmos causamos e nós o reputávamos por aflito, ferido de Deus, e oprimido. Mas ele foi ferido pelas nossas transgressões, e moído pelas nossas iniqüidades; o castigo que nos traz a paz estava sobre ele, e pelas suas pisaduras fomos sarados."

16. Sabemos que a Bíblia ensina que pecado é a transgressão da lei de Deus, e que o salário do pecado é a morte. Ezequiel 18:4, 20. Em vista de sermos todos pecadores, e termos todos fracassado, ficando aquém da glória de Deus, somos todos condenados à morte eterna. É por isso que precisamos do Messias para nos redimir da penalidade do pecado. Como poderia ser feito isso? Somente pelo próprio Messias, pagando a penalidade por nossos pecados, por que ele não conheceu pecado. Ele, como a Divindade sem pecado revestindo-Se da humanidade, seria o único que poderia pagar plenamente a penalidade por nossos pecados. Assim, por morrer por nossos pecados e erguer-se da sepultura, Ele é agora nosso Redentor. Quando aceitamos o Messias como nosso Redentor, Sua morte é apresentada em nosso benefício, e assim não temos que morrer por nossos pecados. Quando aceitamos o Messias como nosso Salvador, Sua morte torna-se a propiciação por nossos pecados.

17. Notemos estas ternas palavras: "Ele suportou sofrimentos infligidos por nós....

Ele foi ferido pelas nossas transgressões" (H). 0 quinto verso acrescenta que "o castigo que nos traz a paz estava sobre ele" (H). Em outras palavras, nossa vida eterna e paz eterna dependem dEle. Ele teve que resistir ao pecado e finalmente morrer para pagar a penalidade por nosso pecado: assim a nossa paz e a nossa vida eterna dependiam da implementação do plano da salvação de Deus por nós. O verso 6 (H) descreve muito bem a nossa condição:

- "Todos nós andávamos desgarrados como ovelhas, cada um se desviava por seu próprio caminho, mas o SENHOR fez com que a iniqüidade de todos nós caísse sobre ele [o Messias]."

18. Nós, os filhos e filhas de Abraão, ''temos andado desgarrados como ovelhas; cada um se tem desviado para seus próprios caminhos." Sim, por quase 2.000 anos temos estado errantes; nos temos desviado de nosso próprio Messias judaico.

O verso 7 (H) dá esta descrição do Messias:

"Ele foi oprimido e foi afligido, mas não abriu a sua boca: como um cordeiro que é trazido ao matadouro e, como uma ovelha perante os seus tosquiadores é muda, assim ele não abriu a sua boca."

19. Agora, consideremos a passagem anterior: "Ele foi oprimido e foi afligido, mas não abriu a sua boca." Foi levado como um prisioneiro, foi açoitado primeiro por ocasião do julgamento do Sinédrio; em seguida, foi levado perante Pilatos e depois perante o rei Herodes. Depois disso, Ele foi enviado de volta para ser novamente julgado perante Pilatos, que O sentenciou à morte sobre aquela velha cruz pagã. Soldados romanos O tomaram e O pregaram nela. Assim tudo se cumpriu, exatamente como Isaías dissera. "Ele foi oprimido e foi afligido, mas não abriu a sua boca, como um cordeiro que é trazido ao matadouro." O Novo Testamento declara que quando João, o Imersor, viu o Messias junto ao Rio Jordão, exclamou: "Eis o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo." João 1:29. João, um hebreu da ordem sacerdotal, reconheceu o nosso Messias como o Cordeiro de Deus que tiraria o pecado do mundo.

20 Isaías 53, verso 8, (J) assim reza:

- Por meio de opressão e julgamento ele foi eliminado, e da sua geração quem se preocupou com a razão? Porquanto ele foi cortado da terra dos viventes."

§ "Cortado da terra dos viventes" significa que ele foi posto à morte. Uma declaração semelhante a esta é encontrada em Daniel 9:26 (H) como segue:

- "Depois das sessenta e duas semanas o ungido [Messias] será cortado." Foi por nós que Ele morreu, para que pudéssemos viver e ter vida eterna. Por que devia Ele ser posto à morte? Note a última parte de Isaías 53:8 (J):

- "Por causa da transgressão do Meu povo."

21. Ele morreu, ele foi posto à morte, pelos pecados do povo hebreu e por todos os demais outros membros da família humana que o aceitarem como o Messias. Estes textos bíblicos ecoam no Novo Testamento. Mas nós estamos lendo uma porção da profecia de Isaías escrita há quase 800 anos antes que o Messias viesse a este mundo.

22. O verso 9 fala sobre o que recairia ao Messias por ocasião de sua morte.

 

Os textos que contêm "Ele" e "Nós," em Isaías 53

 

A fim de termos uma visão correta do ensino de Isaías 52:13 a 53:12, é necessário notar particularmente os pronomes usados em referência às partes mencionadas nessa passagem do Escrito Sagrado. Enumera-las-emos como segue:

 

(1) Os textos que contêm "Ele"

Ele é desprezado .......................................................... v. 3

Ele é um homem de dores .............................................. v. 3

Ele tomou sobre si os nossos sofrimentos ........................ v. 4

Ele é ferido .................................................................. v. 4

Ele foi ferido ................................................................ v. 5

Ele foi moído ................................................................ v. 5

Ele foi oprimido ............................................................. v. 7

Ele foi cortado ...............................................................v. 8

Ele não fez violência ...................................................... v. 9

Designaram-lhe a sepultura com os ricos ........................... v. 9

Vários versos falam sobre "Seu" e ''dEle."

 

(2) Os textos que contêm "Nós"

Nós, como ovelhas, nos desgarramos ............................... v. 6

Nós nos desviamos... para nosso próprio caminho .............. v. 6

Nós não fizemos caso dele .............................................. v. 3

Nós escondemos [dEle] os nossos rostos............................ v. 4

Nós gostamos que Ele fosse combatido ........................ v. 4

Nós gostamos que Ele fosse ferido ............................... v. 4

Nós gostamos que Ele fosse afligido ............................. v. 4

Nós somos curados por Seus açoites ............................. v. 5

Nós não o desejamos ................................................. v. 2

Nós éramos como ovelhas ........................................... v. 6

 

Tais palavras como "nós" e "nosso" também são usadas várias vezes. Naturalmente surge a pergunta: a quem se aplicam os textos que contêm "ele"? A quem devem ser aplicados os textos que contêm "nós''? O "ele" fez algo por "nós". "Nós" fizemos alguma coisa a "ele". Para uma resposta à nossa indagação, notemos a tradução de Isaías 53 conforme apresentada por alguns de nossos mais respeitados mestres. Por exemplo, o grande erudito judaico Ibn Ezra (1070 - após 1138 E.C.) que "foi um mestre sem rival da língua hebraica" (The Jewish Encyclopedia, vol. 6, pág. 525), nos deixou o seu comentário sobre Isaías, de onde citamos sua tradução de Isaías 53:4-6, conforme traduzida ao inglês pelo Dr. Michael Friedlander:

"Certamente ele suportou as dores, e sofreu as tristezas causadas por nós: contudo nós gostamos que ele fosse combatido, ferido de Deus e afligido. Mas ele foi ferido por nossas transgressões, ele foi moído por nossas iniqüidades: um castigo que causou a nossa paz estava sobre ele; e com os seus açoites nós fomos sarados. Todos nós como ovelhas nos desviamos; cada um de nós se desviou para o seu próprio caminho; e o SENHOR colocou sobre ele a punição que nós todos merecíamos." - The Commentary of Ibn Ezra on Isaiah, vol. 2, pág. 87. (Sociedade de Literatura Hebraica, Londres: 1873).

Numa oração penitencia) recitada no Yom Kippur são expressados sentimentos muito semelhantes aos de Isaías 53:

"Temos traspassado, temos agido traiçoeiramente, temos roubado, temos falado falsamente, temos agido perversamente e temos obrado impiamente, temos agido presunçosamente, temos cometido violência, temos forjado mentiras, temos recomendado o mal, temos falado falsamente, temos zombado, temos sido revoltosos, temos sido provocadores, temos sido rebeldes, temos cometido iniqüidade, temos transgredido, temos oprimido, temos sido teimosos, temos agido impiamente, temos corrompido, temos cometido abominação, temo-nos desviado, temos desviado a outros." - Prayer Book for the Day of Atonement, editado por A. Th. Philips, edição revista, pág. P (Hebrew Publishing Company, New York City: 1931).

A mesma declaração aparece em Service of the Synagogue: Day of Atonement, editado por Herbert M. Adler e reimpresso da última e melhor edição de Londres, pág. 7 (Star Hebrew Book Co.; and Hebrew Publishing Co., New York City: nld.); e em Daily Prayers, traduzido pelo Dr. A. Th. Philips, edição revista, pág. 661 (Hebrew Publishing Co., New York City: nld.).

A linguagem é muito semelhante à que é usada nos versos acima citados da profecia de Isaías. Isto significa, então, que os textos que contêm "nós" se aplicam a nós. Nós fizemos alguma coisa a "ele". Mas quem é esse servo referido como "ele" ou "seu"? Novamente, por que não deixar que nossos antigos patriarcas nos falem? Eles podem nos provar ser guias de confiança neste assunto.

 

O Testemunho de Nossos Antepassados

Um cuidadoso estudo das antigas interpretações revela o fato de que a aplicação messiânica de Isaías 53 foi geralmente reconhecida por nossos antigos mestres até cerca de 1.150 E.C. Uma excelente compilação desses testemunhos foi feita há alguns anos atrás, e as declarações seguintes procedem dessa compilação.

Conforme declarado no início desta lição, numa discussão dos sábios talmúdicos com respeito aos nomes pelos quais o Messias seria chamado: "Os rabinos diziam: Seu nome é o 'erudito leproso', como está escrito; Certamente ele suportou os nossos sofrimentos e carregou as nossas tristezas: contudo nós gostamos que ele fosse um leproso, ferido de Deus, e afligido. [Isa. 53:4]." - Sanhedrin 98h (vol. 2, pág. 668, da edição Soncino de 1935).

Por exemplo, o Midrash Rabbah, sobre Rute, cap. 6, seç. 6, comentando sobre Rute 2:14 declara: "A quinta interpretação faz com que se refira ao Messias. 'ACHEGA-TE PARA AQUI: aproxima-te para o lugar real: E COME DO PÃO refere-se ao pão da realeza; E MOLHA NO VINAGRE O TEU BOCADO refere-se aos seus sofrimentos, como é dito, MAS ELE FOI FERIDO POR CAUSA DE NOSSAS TRANSGRESSÕES (Isa. 53:5)." - Edição Soncino de 1939 e 1961, pág. 64.

Agora notemos novamente Isaías 53:9 (J):

- "E designaram-lhe a morte com os perversos, mas com o rico esteve sua sepultura; embora ele não tenha feito violência, nem dolo algum se achou em Sua boca.

"Designaram-lhe a morte com os perversos." Note o cumprimento dessa profecia conforme foi registrado em Mateus 27:38, que diz:

- "Então foram crucificados com Ele dois ladrões, um à sua direita e outro à sua esquerda."

Sim, este é o cumprimento: Ele foi posto à morte como se fora um criminoso, mas "com o rico esteve em Sua sepultura." Como esteve Ele com o rico? Leiamos o registro: "Veio um homem rico de Arimatéia, chamado José - indo ter com Pilatos, o mesmo homem pediu o corpo de Yeshua.... e tomando o corpo, José envolveu-o (em) lençol limpo e o depositou no seu túmulo novo, que ele havia talhado na rocha." Mateus 27:57-60 (Gr.).

Ali em Sua morte o Messias foi colocado na tumba do homem rico, a tumba de José de Arimatéia. Aqui vemos o cumprimento da profecia de Isaías com respeito à morte e ao sepultamento do Messias.

23. Em Isaías 53:10, 11 (Heb.) nós lemos:

- "Todavia, ao Senhor agradou machucá-lo; Ele causou [lhe] dor, como se desejasse expor Sua alma como uma oferta pelo pecado; e prolongará os [seus] dias; e a vontade do SENHOR prosperará por suas mãos. Ele verá uma semente, ele ficará satisfeito; por seu conhecimento o Meu justo servo trará justiça a muitos, e suas iniqüidades ele suportará."

Deus diz que Se agradaria quando o Messias fizesse de sua alma uma oferta pelo pecado. Por quê? Porque o amor de Deus é muito grande. A Bíblia diz: "Porque Deus amou ao mundo de tal maneira que Ele deu o Seu Filho unigênito, para que todo o que nEle crê não pereça, mas tenha a vida eterna." João 3:16. Deus amou tanto a este mundo que Ele não desejou vê-lo a perecer. Ele tanto nos amou que desejou que tivéssemos vida eterna, e todos os que aceitarem ao Seu Messias como seu Redentor receberão vida eterna. Assim, agradou ao Deus de Israel quando o Messias fez de Sua alma uma oferta pelo pecado. Como vê, amigo, Isaías 53 não podia aplicar-se a qualquer homem comum. Está falando apenas do "Servo Sofredor de Deus," aquele que nasceria neste mundo e cresceria como uma criança, como uma planta a brotar de uma terra seca.

24. A porção seguinte de Isaías 53:10 (H) declara: "Ele verá a sua semente, e prolongará os Seus dias." Após ter feito Sua alma como oferta pelo pecado, Ele então é capaz de ver Sua semente. Note o significado desta declaração. Significa que Ele viveria novamente; "Ele verá sua semente," Seus seguidores, os justos que são salvos mediante Sua redenção por nós, "Prolongará os seus dias, e a vontade do SENHOR prosperará em sua mão." Verso 10 (H).

25. Isaías 53:11 (H) revela a atitude do Messias para com Seu próprio sacrifício. "Ele verá o fruto do penoso trabalho de Sua alma, e ficará satisfeito." E acrescenta: "Por Seu conhecimento, Meu justo Servo trará justiça a muitos." Verso 11 (Heb.) Por quê? A explicação dada é que "Ele suportará as iniqüidades deles." Verso 11 (H). Sim, o Messias suportou nossas iniquidades quando Ele morreu na cruz do Calvário. Mas, lembre-se disto, devemos aceitá-Lo como nosso Salvador pessoal e preparar-nos para Sua vinda, em breve. Pois o Messias virá muito em breve - nesta geração. Estamos agora vivendo nos últimos dias da história desta Terra - estamos vivendo nos dias messiânicos, pouco antes da vinda do Messias. Nós temos que estar prontos para encontrá-Lo. Lembre-se que Deus quer que guardemos todos os Seus mandamentos, inclusive o sábado do sétimo dia, e não devemos comer nada que seja ''traife", que é pura. Precisamos ser verdadeiros judeus, genuínos israelitas, que seguimos a religião de nosso Deus, a religião da Bíblia. Portanto, sejamos verdadeiramente judeus fiéis. À vista de Deus, não é um verdadeiro judeu quem o é meramente na aparência exterior, mas é um verdadeiro judeu aquele que o é interiormente.

26. Muitos dentre nosso povo judeu hoje em dia, é triste dizê-lo, não são judeus de coração. Espiritualmente não são melhores do que os incrédulos goyim (gentios) porque não guardam o sábado, não observam as leis mosaicas dos alimentos puros e impuros e não aceitam o Messias. São desobedientes e sem esperança neste mundo.

27. Note agora o que Isaías 53:12 (J) diz:

- "Portanto, eu lhe repartirei uma parte entre os grandes, e dividirei o despojo com os poderosos; porquanto Ele desnudou a sua alma até à morte; e foi contado com os transgressores; e ainda suportou o pecado de muitos, e fez intercessão pelos transgressores."

28. O registro diz: "Ele desnudou sua alma até à morte. E foi contado com os transgressores." Ele foi crucificado, e posto à morrer com dois ladrões. Ele não foi considerado um homem justo. Ele foi condenado como um transgressor pela maior parte de Seu próprio povo judeu. Lemos na parte final do texto: "Ele [o Messias] suportou o pecado de muitos." Verso 12 (J). Isso inclui todos os que O aceitam como seu Salvador pessoal. "E fez intercessão pelos transgressores." Pode surgir a pergunta: Intercedeu perante quem? A resposta é: Perante Deus. Deus, o Ancião de Dias, assenta-Se como o Juiz e somos condenados como pecadores, mas o Messias intercede por nós. Como se Ele fosse nosso advogado, Ele pleiteia nosso caso perante o Deus do Céu, o Pai do universo. Ele diz: Meu Pai, Meu sangue foi derramado por estes que Me aceitaram como seu Salvador pessoal e Redentor, e Eu intercedo e pleiteio por eles, para que possam ter vida eterna.

Esta lista de fatos, de Isaías 53, descreve claramente a natureza e obra do Servo do Senhor. Note que ela retrata o Messias como:

Uma personalidade humana ............................................ v. 1

Um sofredor inocente ..................................................... v. 9, 12

Um sofredor voluntário ................................................... v. 4, 11

Um sofredor em silêncio ................................................. v. 7

Um sofredor segundo o plano de Deus............................... v.10

Um sofredor substituto (vicário) ....................................... v. 4, 5, 6, 8, 10, 11, 12

Um sofredor que morre ................................................... v. 8, 10, 12

Um sofredor redentivo .................................................... v. 5

Um sofredor que é ressuscitado ....................................... v. 11

 

Essas expressões bíblicas eram também aplicadas pelos nossos antigos pais como se referindo a um Messias justo que sofreu por nós.

Em nosso próprio Livro de Oração é feita referência ao Messias, em relação a Isaías 53, como segue:

"Nosso justo ungido [Mashiach, Messias] apartou-se de nós: horror nos domina e não temos a ninguém para justificar-nos. Ele levou o jugo de nossas iniqüidades, e nossas transgressões, e é ferido por causa de nossa transgressão. Ele leva nossos pecados sobre seus ombros para que possa encontrar perdão para nossas iniqüidades. Seremos curados por suas feridas ao tempo em que o Eterno o criará (o Messias) como uma nova criatura. Oh, elevai-o do círculo da terra. Erguei-o de Seir, para ajuntar-nos a segunda vez sobre o Monte Líbano, pela mão de Yinnon.'' - Prayer Book for the Day of Atonement, editado pelo Dr. A. Th. Philips, revisado e ampliado, pág. 239 (Hebrew Publishing Co., New York City: 1931).

Pense nisto! Ele iria para a sepultura mas não seria deixado lá. Seria colocado na tumba, mas Ele não veria corrupção. Esta é uma declaração impressionante. Aqueles que são levados à sepultura experimentam a corrupção, mas não o Messias. Se Ele morresse, como aconteceu com Ele, e se fosse colocado, como morto, na sepultura e não devesse experimentar corrupção, então obviamente é porque seria levantado dentre os mortos. Foi justamente isso o que aconteceu, pois Ele saiu da sepultura ao terceiro dia.

É interessante notar que, no que concerne ao Senhor Messias, como predito no Salmo 16:9, -10, nossos antigos dirigentes ensinavam:

"Portanto, o meu coração está alegre (Sal. 16:9), alegre nas palavras da Torah; e minha glória no Senhor Messias que se erguerá de mim. Sobre isto está escrito: E sobre toda a glória se estenderá um dossel (Isaías 4:5)."

"Minha carne também habitará em segurança'' (Sal. 16:9) - repousa em segurança mesmo após a morte. R. Isaac disse: "Este verso prova que nem a corrupção nem vermes têm poder sobre a carne de Davi." - Midrash on Psalms, sobre o Salmo 16 (vol. 1, pág. 201, Yale University Press, New Haven, Conn.. 1959). Note as sete palavras, "habita em segurança mesmo após a morte.'

Por Sua morte, nosso Messias sem pecado pagou a pena de morte que nós merecemos.

Deus tinha um propósito em enviar-nos Seu Messias. Ele seria o sacrifício vicário pelos pecados dos homens, Ele levaria suas culpas à sepultura. Erguer-se-ia dentre os mortos e sentar-se-ia à destra de Deus para sempre. Ali Ele ministra como nosso Sumo Sacerdote no Templo do céu, cumprindo a profecia na qual Deus dissera: "Tu és sacerdote para sempre, segundo a ordem de Melquisedeque." Salmo 110:4 (H). Também: "Ele será um sacerdote no Seu trono." Zacarias 6:13 (H). E novamente: "Ele fez intercessão pelos transgressores." Isaías 53:12 (J).

29. Assim, ao chegarmos ao fim desta profecia escrita pelo profeta hebreu Isaías, vemos que o grande e glorioso clímax de tudo isso é que o Messias, Yeshua ha Mashiach, apresenta-se perante o Pai hoje, pleiteando por todos nós que O temos aceitado como nosso Salvador e Redentor pessoal. Este é o plano de salvação dado pelo Senhor ao povo hebreu. Amigo, volvamos nossos olhos e nossos corações ao Deus de Israel, que tanto nos amou e nos deu Seu Messias, o Redentor, o Servo Sofredor de Deus, para que pudéssemos ter vida eterna. Amém.

 

INSTITUTO DA HERANÇA JUDAICA

Caixa Postal: 60836 - AG. C. Limpo

CEP  05788-360  /  São Paulo - SP

 

HOME